Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Sindsep repudia ameaça de Dória de cortar o ponto de servidores que aderirem à greve geral

Prefeito de São Paulo quer acabar com aposentadoria e direitos trabalhistas

Escrito por: Sindsep/SP • Publicado em: 27/04/2017 - 19:01 • Última modificação: 27/04/2017 - 19:29 Escrito por: Sindsep/SP Publicado em: 27/04/2017 - 19:01 Última modificação: 27/04/2017 - 19:29

. .

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Paulo (Sindsep) repudia a intenção do prefeito João Dória Júnior de acabar com a aposentadoria e direitos trabalhistas do funcionalismo público, bem como a tentativa do gestor de intimidar os trabalhadores com ameaças de corte de ponto para barrar a participação da categoria na greve nacional do dia 28 de abril.

O prefeito de São Paulo desrespeita o direito constitucional de greve promovendo verdadeiro assédio, tanto pela imprensa, quanto pelas redes sociais, demonstrando sua incapacidade de diálogo e abrindo mão dos canais de mediação com os sindicatos, aos quais demonstrou total desrespeito.

Numa atitude desesperada para salvar o governo Temer, Dória anunciou acordo com a Uber, empresa conhecida mundialmente por precarizar as relações de trabalho, explorar os trabalhadores e não pagar impostos nos países em que se infiltra. Contudo, não explica à população que acordo e vantagens obterá essa empresa da Prefeitura de São Paulo em troca do transporte de servidores para os locais de trabalho no dia da Greve Geral da Classe Trabalhadora contra as reformas previdenciária e trabalhista.

Dória defende Temer e a reforma da Previdência que irá matar trabalhadores negando-lhes aposentadoria. O prefeito defende a reforma trabalhista que rasga a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e beneficia os amigos empresários do gestor. Ele apóia as terceirizações que reduzem salários, adoecem e matam os trabalhadores.

Justamente contra tudo isso é que os servidores municipais de São Paulo vão parar. Em defesa do funcionalismo e da população atendida pelos serviços de saúde, educação e em todas as áreas que atuam. Contra as reformas, que junto com a PEC 55, aprovada em 2016, reduzem os gastos com políticas públicas e, consequentemente, com o funcionalismo.

Paramos também no dia 28 de abril para cobrar do prefeito que responda à pauta de reivindicações dos servidores, especialmente quanto à revisão geral anual que deveria ser paga a partir de 1° de maio. 

Não é a greve que vai prejudicar a população, mas sim esses ataques do governo Temer que Dória apoia.

Nenhum Direito a Menos!

Dia 28 é dia de GREVE GERAL!

São Paulo, 27 de abril de 2017

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Paulo - Sindsep

Título: Sindsep repudia ameaça de Dória de cortar o ponto de servidores que aderirem à greve geral, Conteúdo: O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Paulo (Sindsep) repudia a intenção do prefeito João Dória Júnior de acabar com a aposentadoria e direitos trabalhistas do funcionalismo público, bem como a tentativa do gestor de intimidar os trabalhadores com ameaças de corte de ponto para barrar a participação da categoria na greve nacional do dia 28 de abril. O prefeito de São Paulo desrespeita o direito constitucional de greve promovendo verdadeiro assédio, tanto pela imprensa, quanto pelas redes sociais, demonstrando sua incapacidade de diálogo e abrindo mão dos canais de mediação com os sindicatos, aos quais demonstrou total desrespeito. Numa atitude desesperada para salvar o governo Temer, Dória anunciou acordo com a Uber, empresa conhecida mundialmente por precarizar as relações de trabalho, explorar os trabalhadores e não pagar impostos nos países em que se infiltra. Contudo, não explica à população que acordo e vantagens obterá essa empresa da Prefeitura de São Paulo em troca do transporte de servidores para os locais de trabalho no dia da Greve Geral da Classe Trabalhadora contra as reformas previdenciária e trabalhista. Dória defende Temer e a reforma da Previdência que irá matar trabalhadores negando-lhes aposentadoria. O prefeito defende a reforma trabalhista que rasga a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e beneficia os amigos empresários do gestor. Ele apóia as terceirizações que reduzem salários, adoecem e matam os trabalhadores. Justamente contra tudo isso é que os servidores municipais de São Paulo vão parar. Em defesa do funcionalismo e da população atendida pelos serviços de saúde, educação e em todas as áreas que atuam. Contra as reformas, que junto com a PEC 55, aprovada em 2016, reduzem os gastos com políticas públicas e, consequentemente, com o funcionalismo. Paramos também no dia 28 de abril para cobrar do prefeito que responda à pauta de reivindicações dos servidores, especialmente quanto à revisão geral anual que deveria ser paga a partir de 1° de maio.  Não é a greve que vai prejudicar a população, mas sim esses ataques do governo Temer que Dória apoia. Nenhum Direito a Menos! Dia 28 é dia de GREVE GERAL! São Paulo, 27 de abril de 2017 Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Paulo - Sindsep



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.