Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Nesta sexta-feira (10), trabalhadores realizarão a Marcha da Esperança

Evento marcará no estado o Dia Nacional de Paralisação e Luta em defesa dos serviços públicos, dos direitos e contra as reformas

Escrito por: Fetamce • Publicado em: 08/11/2017 - 11:38 • Última modificação: 09/11/2017 - 14:44 Escrito por: Fetamce Publicado em: 08/11/2017 - 11:38 Última modificação: 09/11/2017 - 14:44

. .

No dia 11 de novembro, entrará em vigor a Reforma Trabalhista, um dos maiores ataques aos direitos da classe trabalhadora. Um dia antes, 10, trabalhadores de todo o Ceará, do campo e da cidade, participarão em Fortaleza da “Marcha da Esperança – Serviços Públicos são Direitos da Classe Trabalhadora”, que marcará no estado o Dia Nacional de Paralisação e Luta contra os retrocessos promovidos pelo governo de Michel Temer. A atividade terá concentração às 8h, na Praça da Bandeira, no Centro.

O ato será um movimento unificado das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo e das Centrais Sindicais: Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT-CE), Central Sindical e Popular (CSP Conlutas), Central dos Trabalhadores do Brasil no Ceará (CTB-CE) e Intersindical.

A Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Ceará (Fetamce) coordena anualmente, desde 2010, o movimento de rua protagonizado pelos servidores municipais, que se juntam neste ano a funcionários públicos das demais esferas – federal e estadual – assim como proletários de outros ramos e movimentos sociais de luta por moradia, pela terra, por água, de juventude, de mulheres, de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBTs), de negros e negras e de pessoas com deficiências em uma grande agenda de resistência popular.

A marcha também combate o desmonte do Estado, rechaçando projetos aprovados que atingem em cheio o setor público, como a Emenda Constitucional (EC) 95/16, que congela investimentos públicos por 20 anos, e a terceirização em todas as atividades econômicas, que precariza ainda mais as relações de trabalho. Embora a EC esteja prevista para entrar em vigor a partir de 2018, na prática ela já está valendo, com a redução de recursos que chegam aos municípios.

“O governo ilegítimo de Michel Temer, com total reprovação pela opinião pública, avança contra a soberania da nação e liquida o patrimônio público. Investe contra os serviços públicos, cortando e limitando os investimentos  em saúde, educação, segurança, pesquisa científica, assistência social e entrega a nossa maior descoberta petrolífera, o pré-sal,  para a exploração estrangeira. Mas, ao mesmo tempo, preserva os interesses dos banqueiros nacionais e estrangeiros; afronta os direitos sociais, liquida com as conquistas do povo e dos trabalhadores, como a legislação trabalhista e a Previdência Social. Por tudo isso, mais do que nunca, é hora de ocupar as ruas e resistir”, explica Enedina Soares, presidenta da Fetamce.

Golpe Trabalhista

Aprovada a toque de caixa e sem nenhuma consulta à população, a Reforma Trabalhista é classificada pela presidenta da Fetamce como um “Golpe Trabalhista”, tendo em vista que, entre os desastres provocados, prevê a substituição do contrato de trabalho por prazo indeterminado pelo temporário e ameaça os cargos públicos, que podem substituídos por terceirizados.

Caravanas de todo o Ceará

A marcha deve receber trabalhadores de pelo menos 160 dos 183 municípios cearenses, que são localidades onde a Fetamce possui organizações sindicais de base. Além destes grupos, as caravanas devem ser reforçadas por agricultores familiares e outros movimentos do campo. No último ano, a sétima edição do evento levou 10 mil pessoas às ruas. Conforme a Federação, diante da revolta popular com a situação do país, a expectativa de público deve aumentar.

Serviço:

Marcha da Esperança

10 de novembro – Dia Nacional de Paralisação e Luta contra as Reformas Trabalhista e da Previdência

Concentração: 8 horas – Praça da Bandeira (Centro de Fortaleza/CE)

Título: Nesta sexta-feira (10), trabalhadores realizarão a Marcha da Esperança, Conteúdo: No dia 11 de novembro, entrará em vigor a Reforma Trabalhista, um dos maiores ataques aos direitos da classe trabalhadora. Um dia antes, 10, trabalhadores de todo o Ceará, do campo e da cidade, participarão em Fortaleza da “Marcha da Esperança – Serviços Públicos são Direitos da Classe Trabalhadora”, que marcará no estado o Dia Nacional de Paralisação e Luta contra os retrocessos promovidos pelo governo de Michel Temer. A atividade terá concentração às 8h, na Praça da Bandeira, no Centro. O ato será um movimento unificado das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo e das Centrais Sindicais: Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT-CE), Central Sindical e Popular (CSP Conlutas), Central dos Trabalhadores do Brasil no Ceará (CTB-CE) e Intersindical. A Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Ceará (Fetamce) coordena anualmente, desde 2010, o movimento de rua protagonizado pelos servidores municipais, que se juntam neste ano a funcionários públicos das demais esferas – federal e estadual – assim como proletários de outros ramos e movimentos sociais de luta por moradia, pela terra, por água, de juventude, de mulheres, de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBTs), de negros e negras e de pessoas com deficiências em uma grande agenda de resistência popular. A marcha também combate o desmonte do Estado, rechaçando projetos aprovados que atingem em cheio o setor público, como a Emenda Constitucional (EC) 95/16, que congela investimentos públicos por 20 anos, e a terceirização em todas as atividades econômicas, que precariza ainda mais as relações de trabalho. Embora a EC esteja prevista para entrar em vigor a partir de 2018, na prática ela já está valendo, com a redução de recursos que chegam aos municípios. “O governo ilegítimo de Michel Temer, com total reprovação pela opinião pública, avança contra a soberania da nação e liquida o patrimônio público. Investe contra os serviços públicos, cortando e limitando os investimentos  em saúde, educação, segurança, pesquisa científica, assistência social e entrega a nossa maior descoberta petrolífera, o pré-sal,  para a exploração estrangeira. Mas, ao mesmo tempo, preserva os interesses dos banqueiros nacionais e estrangeiros; afronta os direitos sociais, liquida com as conquistas do povo e dos trabalhadores, como a legislação trabalhista e a Previdência Social. Por tudo isso, mais do que nunca, é hora de ocupar as ruas e resistir”, explica Enedina Soares, presidenta da Fetamce. Golpe Trabalhista Aprovada a toque de caixa e sem nenhuma consulta à população, a Reforma Trabalhista é classificada pela presidenta da Fetamce como um “Golpe Trabalhista”, tendo em vista que, entre os desastres provocados, prevê a substituição do contrato de trabalho por prazo indeterminado pelo temporário e ameaça os cargos públicos, que podem substituídos por terceirizados. Caravanas de todo o Ceará A marcha deve receber trabalhadores de pelo menos 160 dos 183 municípios cearenses, que são localidades onde a Fetamce possui organizações sindicais de base. Além destes grupos, as caravanas devem ser reforçadas por agricultores familiares e outros movimentos do campo. No último ano, a sétima edição do evento levou 10 mil pessoas às ruas. Conforme a Federação, diante da revolta popular com a situação do país, a expectativa de público deve aumentar. Serviço: Marcha da Esperança 10 de novembro – Dia Nacional de Paralisação e Luta contra as Reformas Trabalhista e da Previdência Concentração: 8 horas – Praça da Bandeira (Centro de Fortaleza/CE)



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.