Confetam se solidariza com os servidores de Vilhena e exige do prefeito diálogo com os trabalhadores

04/12/2019 - 17:40

Servidores da Saúde entraram em greve e trabalhadores da Educação prometem parar no início do ano letivo.

A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) presta total solidariedade ao Sindicato dos Servidores Municipais do Cone Sul (SINDSUL) e às trabalhadoras e trabalhadores da prefeitura de Vilhena (RO) que lutam por condições de trabalho.

Os servidores da Saúde do município começaram a semana em greve por melhores salários e os professores prometem paralisar o ensino municipal no começo do ano que vem, caso o prefeito Eduardo Japonês (PV) descumpra a promessa da Administração de consolidar o Plano de Cargos e Carreiras (PCCs).

Os trabalhadores se queixam de não terem sido recebidos pela Prefeitura, que se nega a abrir qualquer canal de negociação com a categoria. 

"É inadmissível que um gestor se comporte dessa forma, sem ouvir aqueles que de fato prestam serviço à municipalidade e mantêm a gestão pública em funcionamento", criticou a presidenta da Confetam/CUT, Vilani Oliveira.

Nesta quinta-feira (5), a Confetam/CUT enviará enviará ofício ao prefeito pedindo bom senso na condução de uma solução para o impasse. 

Leia a íntegra do ofício 

Ao Exmo. Prefeito de Vilhena (RO)
Eduardo Japonês (PV)

Prezado Senhor,  

A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) vem, respeitosamente, solicitar ao Excelentíssimo Prefeito de Vilhena a abertura de diálogo com os legítimos representantes dos servidores da Saúde do município, que entrarem em greve por melhores salários, e dos professores municipais, que cobram o cumprimento da promessa da Administração de consolidar o Plano de Cargos e Carreiras (PCCs), sob pena da paralisação  do ensino municipal no começo do ano que vem.

Sabemos que o descumprimento da promessa eleitoral pode comprometer o ano letivo de 2020, por isso pedimos bom senso à Prefeitura e a imediata abertura das negociações com as representações dos trabalhadores. É necessário que aqueles que prestam serviço à municipalidade e matêm a máquina pública em funcionamento sejam respeitados no direito de ser ouvidos pela Gestão Municipal.  

Tendo em vista a decisão dos trabalhadores de só retomarem as atividades em 2020 após a implantação do PCCs, compromisso assumido por Vossa Excelência com a população do município durante campanha eleitoral, apelamos aqui ao estabelecimento do diálogo entre as partes envolvidas. 

Não se trata de "ceder às pressões dos servidores", mas de reconhecer e honrar a palavra empenhada aos eleitores que confiaram no candidato e agora cobram do prefeito o cumprimento da promessa de campanha.

Certa da atenção de Vossa Excelência, renovamos protestos de estima e consideração.

Vilani Oliveira
Presidenta da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal - Confetam/CUT

Fortaleza, 4 de dezembro de 2019