No Dia do Professor, Confetam pede que profissionais presenteiem categoria votando em candidatos comprometidos com a educação

15/10/2020 - 14:09

Artigo de Vilani Oliveira, presidenta da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal, fala sobre o que esperar dos professores municipais neste 15 de Outubro.

Este foi um ano muito desafiador para toda a classe trabalhadora, em especial para os servidores públicos e os profissionais em educação. Já faz algum tempo que estamos sofrendo violentos ataques: a desestruturação dos conselhos de participação popular; a reforma do ensino médio sem debate, nem diálogo; tentativas de intervenção nas Universidades, num total desrespeito à democracia e à vontade da coletividade; o cerceamento à liberdade de cátedra; escola ‘sem partido’, que nada mais é do que a escola ‘com um partido’ que possa monitorar os professores e cercear a liberdade de expressão para acabar com a educação crítica. Por isso, vimos tantos ataques a Paulo Freire, patrono da educação brasileira.

Nesses tempos difíceis, a luta em torno da aprovação do novo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Funbeb) exigiu de todos nós muito empenho. A conquista da aprovação do Fundeb permanente pelo Congresso Nacional foi fruto dessa mobilização e da unidade entre diversas entidades, inclusive de movimentos populares que nem são ligados à educação. Agora, a luta continua para que, de fato, o Fundeb seja regulamentado.

As lutas são constantes, ocorrem nos municípios contra os prefeitos que não querem reajustar o piso do magistério e congelam os planos de cargos e carreiras; contra essa reforma administrativa e a lei de socorro a estados e municípios, que congelou o salário dos servidores públicos até 2021; contra a retirada de direitos adquiridos com muita luta, como o concurso e a estabilidade dos servidores. É um tempo muito difícil, mas não vamos perder a esperança. Como dizia Paulo Freire, precisamos conjugar o verbo ‘esperançar’.

E o que esperar do Dia dos Professores? Esperar que essa categoria aguerrida, que protagonizou a luta pela democracia, contra a ditadura militar, por liberdades, por governos democráticos, e por uma educação libertária, continue firme e coesa nessa unidade para que possamos reagir contra todo esse retrocesso que se instalou no país por meio desse governo com características fascistas.

Fiquemos atentos ao processo eleitoral nos nossos municípios para impedir que candidaturas bolsonaristas possam lograr êxito, para que possamos fortalecer candidaturas verdadeiramente comprometidas com as nossas pautas e, sobretudo, compromissadas com um país que volte a ter crescimento econômico, geração de emprego e liberdade de expressão. E isso começa no município. Tudo começa no município!

Então, que nós, enquanto educadores, também tenhamos esse olhar para o nosso compromisso com esse processo eleitoral para que sejamos exitosos, para que possamos eleger candidaturas comprometidas com a educação de qualidade, com o serviço público de qualidade. É isso que esperamos dos nossos profissionais da educação, não só no dia 15 de Outubro, mas em todos os dias de nossas vidas.

Que neste Dia dos Professores possamos combater todo esse negacionismo que levou à morte mais de 151 mil brasileiros e brasileiras. E que nos cuidemos também, nos preservemos porque para fazer a luta, para enfrentar os desafios da nossa profissão em tempos sombrios, precisamos estar bem, não só para derrotar essa reforma administrativa, mas sobretudo para derrotar o bolsonarismo, que nega o conhecimento e privatiza a educação pública. E isso nós não vamos aceitar! À luta, companheirada!